Entre a razão , a emoção e o coração !

Entre a razão , a emoção e o coração !

imagesQuem se relaciona comigo, seja no ambiente profissional ou no pessoal escuta muito algo que levo para a vida após alguns (vários) acontecimentos impactantes  : “aprendemos pelo AMOR ou pela DOR”. Obviamente na primeira hipótese o aprendizado é prazeroso, porém muito difícil de ser assertivo; consequentemente a segunda hipótese pode causar um trauma maior e, justamente tal situação, leva a uma conscientização inerente a vontade própria do ser humano.

Bem, foram algumas semanas de muitas reflexões, de muitas análises, mas, sobretudo de muitos aprendizados desde meu último post… E, nesta onde de aprendizados, aprendi mais uma grande coisa : escutar o coração !

O aprendizado pelo AMOR e pela DOR ganha um novo companheiro: o aprendizado através do CORAÇÃO !

Alguns podem confundir AMOR e CORAÇÃO. Não confundam, apesar de ser complementares…. Enquanto o amor nos leva a um circulo positivo de relacionamentos (onde as pessoas que te envolvem detém influência positiva na critica do seu modelo mental), o coração é algo intrínseco , e, se me permite o pleonasmo : de você para você mesmo. Uma busca auto consciente íntima de erros e acertos .

Nossas ações cada vez mais são pautadas em razão, sobriedade e peso de causas e consequências que o mundo corporativo nos obriga a cada dia . Longe de qualquer pretensão minha subestimar tal feito, até mesmo porque minha escola de vida e de profissão sempre deteve este viés. Entretanto, a cada dia mais aprendo balancear a frieza da matemática com o ar sublime da emoção.

Muito se fala em ativos empresariais… Talvez o clichê da moda corporativa  atual seja :  “as pessoas são o maior ativo da empresa”.

Correto ? sim…. Porém, tão importante quanto isto seja entender cada pessoa como ela verdadeiramente queira ser entendida. E, meus caros, isto a matemática não lhe concede. Isto depende do doce dom de compreender a alma humana sem pré-conceitos individuais enraizados em uma sociedade que dita padrões arcaicos e questionáveis.

Se posso conceder um conselho para esta nova fase, este novo ano ou nova etapa de vida é: ouça seu coração e ouça o coração das pessoas que te envolvem com a convicção plena que a certeza dela é diferente da sua…

E, neste mundo de certezas individuais , o que é certo ou o que é errado? NADA !!!! Existe sim o segredo da plenitude como gestor ou um como um (bom) colega de trabalho : Expurgar conceitos simétricos que levam ao julgamento critico, coletivo e constante e entender onde o que é “ruim”pode se tornar “bom”.

Já escrevi sobre a teoria da psicologia positiva em outra oportunidade, mas agora o que era teoria passa cada vez mais ser realidade !

Que, neste ano, TODOS possamos nos preocupar muito mais com o COMO (fazemos) e muito menos com o QUE (de identificação dos culpados e problemas).

Sucesso (sempre) neste ano que se inicia, e, que, nele, o coração possa ser o alicerce da razão !

J.C.

Jose Carlos

Administrador, gestor de pessoas e de processos comerciais. Especialista em negociação avançada e compostos estratégicos de Marketing. MBA em desenvolvimento humano de gestores.

Você deve estar logado para postar um comentário