Archive setembro 2014

6 dicas para quem quer empreender em tempos de incerteza

images5A iminência das eleições presidenciais e os resultados econômicos ruins vêm deixando os brasileiros um tanto pessimistas quanto ao presente e o futuro do país. No entanto, para o argentino Hernán Kazah, cofundador do Mercado Livre, o empreendedor de verdade não deve se deixar esmorecer.

O Mercado Livre foi criado em 1999, na Argentina. No ano seguinte, um fenômeno conhecido como o estouro da bolha da internet fez o valor de mercado das empresas de tecnologia desabar e levou ao fechamento de várias companhias. Em 2001, a economia argentina passou por uma grave crise. “O golpe foi forte, mas com o foco na equipe, no produto e nos clientes, continuamos a crescer. Transformamos o mau momento em oportunidade”, disse Kazah no Day1, evento de empreendedorismo que aconteceu nesta quarta-feira (17/9), em São Paulo.

A resiliência do Mercado Livre culminou, em 2007, em ganhos de US$ 800 milhões a Kazah e seu sócio, Marcos Galperín, após a oferta pública inicial (IPO) da empresa na bolsa de valores americana Nasdaq.

A postura de Kazah pode ser útil aos brasileiros que não estão muito confiantes. Confira algumas dicas de gestão do argentino:

1.    Ideias não são tudo

O Mercado Livre foi criado para ser uma espécie de “eBay da América Latina” – ou seja, a plataforma nasceu como uma réplica de um modelo de negócio já existente. Kazah reconhece que não foi o único a ter uma ideia semelhante. “Havia umas 80 empresas fazendo o mesmo que nós, mas só o Mercado Livre sobreviveu. Isso mostra que o principal é desenvolver e executar. Uma ideia sozinha não leva a nada.”

 2.    Faça direito

Para o argentino, os empreendedores nunca devem “abraçar o mundo”. Ele afirma que tal impulso é comum, mas quase nunca benéfico – afinal, a vontade de fazer várias coisas ao mesmo tempo faz com que nenhuma delas seja bem executada. “Prefiro trabalhar em poucas frentes e entregar um resultado nota 10 a fazer mil coisas medíocres”, diz Kazah.

3.    Valorize o que realmente importa

De acordo com Kazah, uma empresa de sucesso tem um bom serviço, produtos e serviços de primeira linha e funcionários felizes – e é possível conseguir tudo isso, apesar do momento econômico de um país. “Superamos tudo ao focarmos na qualidade da plataforma, em satisfazer o cliente e em valorizar a equipe. Mesmo depois da ‘bolha’ e da crise, continuamos bem”, diz.

 4.    Não dê ouvidos aos pessimistas

Ao criar o Mercado Livre, Kazah teve de ouvir várias opiniões pessimistas. “Diziam que ninguém jamais compraria pela internet. Mesmo assim, continuamos trabalhando.” Depois, na época do IPO, havia gente dizendo que uma empresa latino-americana jamais teria sucesso em uma Bolsa americana. No entanto, os US$ 800 milhões da oferta inicial mostram que os críticos estavam equivocados. “A sorte é que não ouvimos ninguém”, afirma o argentino.

 5.    Não faça pelo dinheiro

Para Kazah, faturar alto não pode ser o principal objetivo de um empreendedor. “Do contrário, a pessoa fica rica e perde a vontade. O ideal é pensar que a meta é enfrentar desafios. Ao pensar assim, o dono de um negócio tem sempre um objetivo e não perde tempo reclamando”, afirma.

 6.    O fim é não ter fim

Depois de abrir o capital do Mercado Livre, Kazah poderia ter parado. Mas exatamente pelo desejo de enfrentar desafios, ele continuou na ativa e criou outro negócio: o fundo de investimentos Kaszek Ventures. “Empreender me deixa em um desconforto contínuo, e isso não é nada ruim. Me faz querer atuar em coisas novas. O principal fim do empreendedor é não ter fim.”

Por Adriano Lira

11 regras que valem a pena…..

sucess key1O reitor de uma Universidade do Sul da Califórnia enviou um e-mail para a Microsoft convidando Bill Gates a fazer um discurso no dia de formatura, incentivando os formandos no início de suas carreiras e, para sua surpresa, Bill Gates aceitou.

Esperava-se que ele fizesse um discurso longo, de mais de uma hora, afinal ele é o dono da Microsoft e possuiu a maior fortuna pessoal do mundo! Mas Bill foi extremamente lacônico, falou apenas durante 5 minutos, subiu em seu helicóptero e foi embora.

A seguir, as 11 regras que ele compartilhou com os formandos naquela ocasião:

Vocês estão se formando e deixando os bancos escolares, para enfrentarem a vida lá fora.  Não a vida que você querem, não a vida que vocês sonharam ter, a vida como ela é.

Vocês estão saindo de um mundo educacional que está pervertendo o conceito da educação, adotando um esquema que visa proporcionar uma vida fácil para a nova geração.  Essa política educacional leva as pessoas a falharem em suas vidas pessoais e profissionais mais tarde.  Vou compartilhar com vocês onze regras que não se aprendem nas escolas:

Regra 1: A vida não é fácil.  Acostume-se com isso.

Regra 2: O mundo não está preocupado com a sua auto-estima.  O mundo espera que você faça alguma coisa de útil por ele (o mundo) antes de aceitá-lo.

Regra 3: Você não vai ganhar vinte mil dólares por mês assim que sair da faculdade.  Você não será vice-presidente de uma grande empresa, com um carrão e um telefone à sua disposição, antes que você tenha conseguido comprar seu próprio carro e ter seu próprio telefone.

Regra 4: Se você acha que seu pai ou seu professor são rudes, espere até ter um chefe. Ele não terá pena de você.

Regra 5: Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo da sua posição social.  Seu avós tinham uma palavra diferente para isso.  Eles chamavam isso de “oportunidade”.

Regra 6: Se você fracassar não ache que a culpa é de seus pais.  Não lamente seus erros, aprenda com eles.

Regra 7: Antes de você nascer seus pais não eram tão críticos como agora.  Eles só ficaram assim por terem de pagar suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são “ridículos”.  Então, antes de tentar salvar o planeta para a próxima geração, querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente arrumar o seu próprio quarto.

Regra 8: Sua escola pode ter criado trabalhos em grupo, para melhorar suas notas e eliminar a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim.  Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar para ficar de DP até acertar.  Isto não se parece com absolutamente NADA na vida real.  Se pisar na bola está despedido… RUA! Faça certo da primeira vez.

Regra 9: A vida não é dividida em semestres.  Você não terá sempre férias de verão e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período.

Regra 10: Televisão não é vida real.  Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho ou a boate e ir trabalhar.

Regra 11: Seja legal com os CDF´s – aqueles estudantes que os demais julgam que são uns babacas.  Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar para um deles.”

Simples ? Não…. Necessário

Sucesso sempre !

J.C.