Rompa consigo mesmo !

padrõesHá uma semana iniciei mais um ciclo de vida. Talvez seja “o ciclo de vida”.

Muitas pessoas que convivem comigo sabem de minha paixão e desejo por conhecimento. Busco reciclar conceitos, absorver novos ideais e conviver com filosofias distintas de vida. Me inspiro em conceituadas instituições e tenho muito respeito por docentes que agregam.

Contudo , iniciei um novo ciclo. Uma imersão de vários  dias ininterruptos em meu autoconhecimento para fazer a diferença na vida de outras pessoas. A formação de Professional & Self Coaching era a intenção .

Pois bem, qual foi a realidade ? Um rompimento com padrões conhecidos que me norteavam.

Romper com pré-conceitos ora inabaláveis foi transformador e, por vezes, temerosos. No auge da razão, a emoção tomou conta. Descobrir respostas vindas de meu próprio exercício crítico não foi fácil. O ceticismo por vezes perdura, mas acaba vencido pela convicção do real propósito de vida. Reconhecer o lado sombrio e luminoso e enfrentá-los ao mesmo tempo me fez pensar no “filme que até aqui protagonizei”.

Despertar a consciência e desafiar o modelo mental , foi ( e é ) o principal desafio. A oportunidade de mudança passa a ser relacionada a um conjunto de ações necessárias com o propósito real de “fazer diferente” .

Terceirizar a felicidade ? Jamais ! A programação mental é o início de tudo. O consciente e o inconsciente precisam andar ao lado, de forma complementar e espontânea. Isso sim é pensar sistemicamente !

E, por instinto, você aprende a viver o sentimento suspendendo todo o tipo de julgamento. O “novo” desperta sem uma lógica concreta, mas com um objetivo de fluidez. Sempre existirá um sentido em tudo o que se passa a viver. O legado é o motor de tração para as ações quotidianas.

Permitir que suas próprias  perguntas questionem seu status quo é a maior prova de rompimento com padrões que por muitas vezes te afastam do seu verdadeiro propósito de vida. Aliás, estas perguntas são o combustível da mudança !

Arrisque-se mais !

Questione-se mais !

Fuja do senso comum !

Faça a diferença em sua própria vida.

Vá por mim …. Vale a pena !

Sucesso sempre,

JC

A crise da incompetência…

imagesHoje , ao abrir meu e-mail, recebi um “puxão de orelha” de um grande profissional que trabalhei por anos . Isto porque as demandas corporativas nos obrigam a fazer algumas escolhas e colocamos em check a gestão de um dos mais preciosos recursos : o tempo .

O fato é que precisamos gerir este recurso em prol de nossos anseios pessoais, profissionais e sentimentais.

Escrevo muito sobre isso ( O equilíbrio ) , e a maior dádiva do ser humano , consiste  no exercício diário do mesmo.

Depois disso, me senti na obrigação (passional e racional ) de escrever um pouco sobre o momento que passamos.

Muito se fala em crise e retração ! Desespero e inconsistência ! Credibilidade e instabilidade.

Seja qual for o  campo de análise , com propriedade digo-vos : CRIE !

Faça da adversidade o combustível da inovação…. Crie sua forma de prosperar… pense no novo… abandone a zona de conforto… Admita que a fórmula de ontem não garante o sucesso do amanhã… Abuse de idéias… Execute-as !

Os caminhos mais tortuosos são aqueles que nos levam para as mais sublimes paisagens.

E, por fim , citando um dos homens mais inteligentes que o mundo conheceu :

” Não pretendemos que as coisas mudem se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e as empresas, porque ela traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nasce a invenção, o descobrimento e as grandes estratégias.

Quem supera a crise supera a si mesmo sem ficar superado. Quem atribui a ela seus fracassos e suas penúrias violenta seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas em soluções fáceis. Sem crise não há desafios. Sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise, não há mérito. É nela que se aflora o melhor de cada um. Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo. Em vez disso, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora , que é a tragédia de não querer lutar para superá-la”

Albert Einstein

Como questionar ?

Sucesso sempre.

Respirar, eis a dádiva da felicidade!

be-happy-21-510x382Sim, oito letras apenas podem te ajudar (e muito) a conquistar aquilo que mais procuramos: a felicidade.

E, quando falo de respiração , não falo somente do ato propriamente dito que todos conhecemos. Falo da respiração mental…  Ah! Quão difícil é exercê-la!

Em momentos turbulentos, momentos de dificuldade, momentos de confronto de ideais, momentos em que somos testados na capacidade ímpar de reação, esquecemos aquilo que é mais importante e que nos faz permanecer de pé: esquecemos-nos de respirar!

Quantas (e quantas) vezes:

Falamos sem pensar?

Falamos o que não precisava ser dito?

Falamos em um tom de voz desnecessário?

Falamos o que não queríamos falar?

E, após esta enxurrada de palavras – horas, minutos ou talvez segundos depois – pensamos junto com os nossos botões: Por quê? Por qual motivo? Qual o propósito ? O que ganhei com isso?

Tudo poderia ser evitado com a simples palavra que norteia este pequeno artigo.

Ela não depende de universidades renomadas, técnicas transversais, e, tampouco, de exercícios aritméticos rebuscados . Depende única e exclusivamente do exercício diário… Da vontade de controlar o ímpeto, da ciência plena em saber que uma relação interpessoal não é um jogo.

Não existem competidores. Não tente vencer!

Respire, inspire,reflita, pense… Fale.

Fale com o coração, não fale com a emoção. O primeiro é suave, a segunda é intensa.

E, vão por mim: intensidade nem sempre é o que queremos. Já suavidade… Bem, esta, nunca será demais.

Infelizmente a conquista deste tipo de ideal não vem acompanhado de glórias. Vem acompanhado de dor… A dor do aprendizado.

Que, este aprendizado – vivido por muitos, sofrido por tantos – possa ajudar a quem nunca o degustou, a continuar não degustá-lo. O sabor não é tão doce quanto parece.

Por fim: Respirem!

Sucesso sempre.

A emoção de ser você !

marketing-pessoal1Já escrevi algumas vezes sobre os preços que a vida nos entrega no quotidiano mundo se escolhas –  sejam elas profissionais ou pessoais . Na realidade, não canso de observar as oportunidades maximizadas e as oportunidades perdidas que colegas e amigos compartilham comigo. É justo, sincero e, porque não eclético ,dizer que não existe o certo e tampouco o errado, existe o ser você !

Fiquei um pouco ausente com foco absoluto no projeto profissional em “fazer e acontecer”. Porém, quando menos esperamos, as lições que a vida nos entrega ( de bandeja!) são, literalmente, as mais assertivas. Hoje ela ( a vida ) me entregou mais uma…. Uma simples colocação ao fim de uma importante e construtiva reunião, de uma pessoa da qual me espelho pela sua inteligência , perspicácia e conhecimento. A critica ao modelo mental não foi alusiva a processos sistemáticos, metodologias inovadoras , planos táticos de guerrilha corporativa. A critica sim, foi a essência do ser humano ! Nada mais providencial para o momento…

Se posso dar-lhes um singelo conselho, falo de todo o coração : Seja você ! Faça da razão seu guia, mas não a transforme em metodologia. Não confunda – jamais – sua forma de agir com a forma melhor no agir. Por que ? Simplesmente pelo fato de não existir o  melhor ou o pior … Sua forma genuína de ser , permeia o que você é . Esta forma o levou de encontro ao seu lugar de hoje e certamente o levará a alçar voos maiores e melhores.

Melhorar ? Sim … Mudar ? Também… Contudo, desde que também genuinamente você esteja convencido que é algo intrínseco, que irá não só agregar aos que te rodeiam, mas também à magnitude e ao doce encantamento de sua alma, e, porque não da jornada sublime em criar um legado de vida.

Respire, reflita, faça, aconteça, exerça, altere, ordene, ilumine, realize, transtorne, execute, retorne, cresça, desista, recomece, transborde, alcance, vanglorie, adormeça, acorde, e por fim…. Seja você !

Sucesso sempre.

Entre a razão , a emoção e o coração !

imagesQuem se relaciona comigo, seja no ambiente profissional ou no pessoal escuta muito algo que levo para a vida após alguns (vários) acontecimentos impactantes  : “aprendemos pelo AMOR ou pela DOR”. Obviamente na primeira hipótese o aprendizado é prazeroso, porém muito difícil de ser assertivo; consequentemente a segunda hipótese pode causar um trauma maior e, justamente tal situação, leva a uma conscientização inerente a vontade própria do ser humano.

Bem, foram algumas semanas de muitas reflexões, de muitas análises, mas, sobretudo de muitos aprendizados desde meu último post… E, nesta onde de aprendizados, aprendi mais uma grande coisa : escutar o coração !

O aprendizado pelo AMOR e pela DOR ganha um novo companheiro: o aprendizado através do CORAÇÃO !

Alguns podem confundir AMOR e CORAÇÃO. Não confundam, apesar de ser complementares…. Enquanto o amor nos leva a um circulo positivo de relacionamentos (onde as pessoas que te envolvem detém influência positiva na critica do seu modelo mental), o coração é algo intrínseco , e, se me permite o pleonasmo : de você para você mesmo. Uma busca auto consciente íntima de erros e acertos .

Nossas ações cada vez mais são pautadas em razão, sobriedade e peso de causas e consequências que o mundo corporativo nos obriga a cada dia . Longe de qualquer pretensão minha subestimar tal feito, até mesmo porque minha escola de vida e de profissão sempre deteve este viés. Entretanto, a cada dia mais aprendo balancear a frieza da matemática com o ar sublime da emoção.

Muito se fala em ativos empresariais… Talvez o clichê da moda corporativa  atual seja :  “as pessoas são o maior ativo da empresa”.

Correto ? sim…. Porém, tão importante quanto isto seja entender cada pessoa como ela verdadeiramente queira ser entendida. E, meus caros, isto a matemática não lhe concede. Isto depende do doce dom de compreender a alma humana sem pré-conceitos individuais enraizados em uma sociedade que dita padrões arcaicos e questionáveis.

Se posso conceder um conselho para esta nova fase, este novo ano ou nova etapa de vida é: ouça seu coração e ouça o coração das pessoas que te envolvem com a convicção plena que a certeza dela é diferente da sua…

E, neste mundo de certezas individuais , o que é certo ou o que é errado? NADA !!!! Existe sim o segredo da plenitude como gestor ou um como um (bom) colega de trabalho : Expurgar conceitos simétricos que levam ao julgamento critico, coletivo e constante e entender onde o que é “ruim”pode se tornar “bom”.

Já escrevi sobre a teoria da psicologia positiva em outra oportunidade, mas agora o que era teoria passa cada vez mais ser realidade !

Que, neste ano, TODOS possamos nos preocupar muito mais com o COMO (fazemos) e muito menos com o QUE (de identificação dos culpados e problemas).

Sucesso (sempre) neste ano que se inicia, e, que, nele, o coração possa ser o alicerce da razão !

J.C.

11 regras que valem a pena…..

sucess key1O reitor de uma Universidade do Sul da Califórnia enviou um e-mail para a Microsoft convidando Bill Gates a fazer um discurso no dia de formatura, incentivando os formandos no início de suas carreiras e, para sua surpresa, Bill Gates aceitou.

Esperava-se que ele fizesse um discurso longo, de mais de uma hora, afinal ele é o dono da Microsoft e possuiu a maior fortuna pessoal do mundo! Mas Bill foi extremamente lacônico, falou apenas durante 5 minutos, subiu em seu helicóptero e foi embora.

A seguir, as 11 regras que ele compartilhou com os formandos naquela ocasião:

Vocês estão se formando e deixando os bancos escolares, para enfrentarem a vida lá fora.  Não a vida que você querem, não a vida que vocês sonharam ter, a vida como ela é.

Vocês estão saindo de um mundo educacional que está pervertendo o conceito da educação, adotando um esquema que visa proporcionar uma vida fácil para a nova geração.  Essa política educacional leva as pessoas a falharem em suas vidas pessoais e profissionais mais tarde.  Vou compartilhar com vocês onze regras que não se aprendem nas escolas:

Regra 1: A vida não é fácil.  Acostume-se com isso.

Regra 2: O mundo não está preocupado com a sua auto-estima.  O mundo espera que você faça alguma coisa de útil por ele (o mundo) antes de aceitá-lo.

Regra 3: Você não vai ganhar vinte mil dólares por mês assim que sair da faculdade.  Você não será vice-presidente de uma grande empresa, com um carrão e um telefone à sua disposição, antes que você tenha conseguido comprar seu próprio carro e ter seu próprio telefone.

Regra 4: Se você acha que seu pai ou seu professor são rudes, espere até ter um chefe. Ele não terá pena de você.

Regra 5: Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo da sua posição social.  Seu avós tinham uma palavra diferente para isso.  Eles chamavam isso de “oportunidade”.

Regra 6: Se você fracassar não ache que a culpa é de seus pais.  Não lamente seus erros, aprenda com eles.

Regra 7: Antes de você nascer seus pais não eram tão críticos como agora.  Eles só ficaram assim por terem de pagar suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são “ridículos”.  Então, antes de tentar salvar o planeta para a próxima geração, querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente arrumar o seu próprio quarto.

Regra 8: Sua escola pode ter criado trabalhos em grupo, para melhorar suas notas e eliminar a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim.  Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar para ficar de DP até acertar.  Isto não se parece com absolutamente NADA na vida real.  Se pisar na bola está despedido… RUA! Faça certo da primeira vez.

Regra 9: A vida não é dividida em semestres.  Você não terá sempre férias de verão e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período.

Regra 10: Televisão não é vida real.  Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho ou a boate e ir trabalhar.

Regra 11: Seja legal com os CDF´s – aqueles estudantes que os demais julgam que são uns babacas.  Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar para um deles.”

Simples ? Não…. Necessário

Sucesso sempre !

J.C.

Você é entusiasmado ou otimista ?

images (1)Há quem diga que o otimista vai onde quer e alcança todos os seus sonhos, pois acredita que conseguirá.

Os otimistas são pessoas que sempre pensam positivo, e até acreditam que algo irá dar certo.. Ter a convicção que os resultados ( tangíveis ou não ) serão positivos é sua maior marca. Para o otimista a crença é o alicerce de tudo. Porém, no primeiro obstáculo, desanimam e desistem de seus planos. A ação nem sempre acompanha a crença, e, a consequência disto pode ser desagradável.

Já os entusiasmados são aqueles que sabem das dificuldades, são realistas, e apesar dos obstáculos vão até o fim em seus projetos. As pessoas entusiasmadas acreditam em si, agem com serenidade, alegria e firmeza. E acreditam igualmente nos outros entusiasmados. Não é o sucesso que traz o entusiasmo, é o entusiasmo que traz o sucesso.

Otimismo significa esperar que uma coisa dê certo.

Entusiasmo é acreditar que é possível fazer dar certo.

O otimista acredita, cria expectativas, mas é o entusiasta que realiza, que corre atrás.

Faça do otimismo o trampolim para o salto da sua vida, e do entusiasmo a energia dinâmica do” realizar seus sonhos”.

Sucesso sempre !

O cliente que nunca mais volta !

O-CLIENTE-É-O-CENTRO.bmp-612x252

Anos atrás, Sam Walton, fundador do gigante  Wal-Mart, abriu um programa de treinamento para seus funcionários. Com muita sabedoria, quando todos esperavam uma palestra sobre vendas ou atendimento, ele iniciou com as seguintes palavras:

“Eu sou o homem que vai a um restaurante, senta-se à mesa e espera pacientemente, enquanto o garçom faz tudo, menos anotar o meu pedido…

Eu sou o homem que vai a uma loja e espera calado, enquanto os vendedores terminam suas conversas particulares.

Eu sou o homem que entra num posto de gasolina e nunca usa a buzina, mas espera pacientemente que o empregado termine a leitura do seu jornal.

Eu sou o homem que explica sua desesperada urgência por uma peça, mas não reclama quando a recebe somente após três semanas de espera.

Eu sou o homem que, quando entra num estabelecimento comercial, parece estar pedindo um favor, implorando por um sorriso ou esperando apenas ser notado.

Você deve estar pensando que sou uma pessoa quieta, paciente, do tipo que nunca cria problemas… Engana-se.

Sabe quem eu sou? Eu sou o cliente que nunca mais volta!

Divirto-me vendo milhões sendo gastos todos os anos em anúncios de toda ordem, para levar-me de novo à sua empresa, sendo que quando fui lá pela primeira vez, tudo o que deveriam ter feito era apenas uma pequena gentileza, simples e barata: tratar-me com um pouco mais de cortesia.

Só existe um chefe: O CLIENTE. E ele pode demitir todas as pessoas da empresa, do presidente ao faxineiro, simplesmente levando o seu dinheiro para gastar em outro lugar.”

Recebi este  clássico discurso de um integrante de meu time e compartilho agora com vocês.

Você tem feito o melhor para atender as necessidades e resolver os problemas de seus clientes? Você realiza um atendimento extraordinário?

Faça com que seus clientes sintam-se especiais desde o primeiro contato.

Lembre-se: Você nunca terá uma segunda chance de causar uma boa primeira impressão.

 Sucesso Sempre !

Dez princípios para chegar aonde quiser !

vendendo a corridaUm dos sócios-fundadores da Totvs, Ernesto Haberkorn, migrou da área técnica para a comportamental e agora dá dicas para os jovens executivos Ernesto Haberkorn estava acostumado a ser o cara das máquinas. Sócio-fundador da TOTVS, a maior empresa de software, serviços e tecnologia do Brasil, ele é formado em Administração de Empresas, mestre em Engenharia da Computação e professor de diversas faculdades de Administração. Mas quando a empresa fez o IPO, em 2006, o executivo saiu da operação e foi para o conselho. Com mais tempo livre, passou a se interessar também pelo comportamento e as relações humanas. Idealizou e tornou-se diretor da TI Educacional, uma escola de cursos profissionalizantes na área de tecnologia, e criou o circuito NETAS, um treinamento corporativo que inclui palestras técnicas e vivências na natureza, como tirolesa, canoagem e mountain bike. As atividades acontecem no SPA Ventura, uma fazenda em Ibiúna, interior de São Paulo. Com a mudança de ares, Haberkorn definiu dez princípios que considera fundamental para uma vida bem-sucedida – não apenas no escritório, mas também em casa. No ano passado, ele apresentou esses princípios em Dicas de como chegar lá, um livro ilustrado, de 50 páginas, que escreveu com o propósito de distribuir aos recém-chegados no universo corporativo. A seguir, as lições do empresário.

1. Atividade física todos os dias.

“Como os computadores, temos a parte do software que é a nossa mente, a nossa alma, a nossa inteligência. E a parte do hardware, a nossa máquina, que é o nosso corpo, as pernas, os braços, o coração, que, tal como lá, é superfrágil, ‘dá pau pra caramba’”. Por isso, a sugestão é parar de apenas prometer e, de fato, mexer o esqueleto diariamente. Os esportes ajudam a expelir toxinas através da respiração e da transpiração, fortalecem os músculos e queimam gordura.

2. Alimentação equilibrada e orgânica.

A dica é comer pouco de tudo e de tudo pouco. Proteínas, carboidratos, fibras, vitaminas. E não se exceder nos três pós brancos refinados: sal, açúcar e farinha.

3. Dormir o suficiente para sentir-se descansado.

“É importante dormir à noite para não fazê-lo no trabalho, no volante, na palestra”, afirma Haberkorn.

4. Trabalho… fazer dele um lazer, um prazer.

O trabalho ao qual o empresário se refere não é necessariamente seu ganha-pão. “É claro que se ele for, melhor”, afirma, em seu livro. “Mas pode ser um trabalho filantrópico, artístico, cultural, esportivo, que traga algum valor”.

5. Ler, estudar, estar sempre bem informado.

Vá fundo no detalhe do que estuda. É o antídoto para os “achismos”.

6. Espiritualidade… viver a própria.

Independentemente de religião, se ancorar em uma força maior ajuda a tocar o dia a dia com mais serenidade e confiança. “Tem ateu que é mais espiritual do que muito beato. O importante é acreditar, ter fé. Mas… mais uma vez, com equilíbrio.”

7. Amar a família, os amigos.

Cultive o amor fraternal, a paixão e reforce os relacionamentos também com quem não conhece bem ainda. “Não há sucesso profissional que compense o fracasso no lar”, escreveu o empresário.

8. Inimigos, jamais tê-los.

Ter adversários, concorrentes e até rivais, faz parte da vida. Mas eles não precisam se tornar desafetos. “Respeite a diversidade, as divergências. Evite o estresse que a inimizade provoca.”

9. Agir com ousadia, calma e persistência.

A ousadia se traduz no dito popular: “Melhor se arrepender de fazer do que de não ter tentado”. A calma deve perdurar nos momentos de pressão. Em vez de perder a cabeça, respire fundo. E a persistência, Haberkorn sugere que se baseie em estatística para cultivá-la: “Faça uma pesquisa e veja que de dez coisa que tentamos fazer, poucas dão certo da primeira vez”.

10. Cumprir as metas estabelecidas.

“Mesmo porque a vida sem metas é monótona. E tudo que é monótono, estagna-se”. Mas não limite-se aos objetivos de trabalho. O que mais você quer da vida?

Sucesso sempre….

O MUNDO CORPORATIVO ESTÁ “LIGADO” PARA RECEBER A GERAÇÃO Z?

GERAO  z_1Em sua maioria, garotas e garotos nascidos em meados da década de 90 nunca imaginaram o planeta sem internet, redes sociais, smartphones, notebooks, iPhones, iPads, telefone celular, etc.Televisão ligada enquanto se estuda para uma prova e fones nos ouvidos ao redigir um trabalho escolar são cenas comuns entre esses jovens. Por terem crescido com o controle remoto nas mãos carregam o título “zapping”, ou geração Z. Sua maneira de pensar foi influenciada desde o berço pelo mundo complexo e veloz que a tecnologia produziu. Outra característica marcante dessa geração é o desapego das fronteiras geográficas; para eles, a globalização não foi um valor adquirido no meio da vida a um custo elevado, mas um aprendizado presente desde a infância. Como informação não lhes falta, estão um passo à frente dos mais velhos, estes empenhados em adaptar-se aos novos tempos. Já se tornaram um grupo expressivo, prometem outra revolução nas empresas, e devem ser levados a sério pelos dirigentes corporativos.

Caroline Calaça, especialista em coaching corporativo, em entrevista ao “DCI – Diário do Comércio Indústria & Serviços” de São Paulo, explica que “a geração Z apresenta semelhanças com os profissionais da geração Y. Os comportamentos comuns entre as duas gerações são ansiedade, ambição, impulsividade, ousadia  e dinamismo.  Já as principais diferenças são o fato de os integrantes da geração Z terem crescido totalmente integrados com a tecnologia e que seus hábitos não sofreram mudanças como a geração Y.” Com isso, as expectativas são de encontrarem ambientes interativos, rápidos e com todos os recursos disponíveis. A autonomia e a individualidade são fatores essenciais, principalmente o acesso direto com os chefes e gestores.

A Geração Z está em franca ascensão e tem tudo para se tornar a mais ágil, porém volúvel e difícil de ser seduzida. O marketing deve ser mais criativo, atraente e interativo e os empresários têm que escolher estratégias mais arrojadas para garantir um relacionamento duradouro com esses teens. Esses profissionais têm pressa, fazem questionamentos constantes e entendem que não têm obrigação em se manter em uma empresa caso suas expectativas não sejam alcançadas. Tudo isso significa que deverão ocorrer fortes modificações na linguagem interna das empresas. A criação de processos mais dinâmicos e a desburocratização serão indispensáveis para a integração desses novos colaboradores.

Assim, nestes tempos o grande desafio das empresas é preparar seus gestores para lidar com essa nova geração e conseguir mantê-la. Como fazer isso? A resposta é investir e estimular os jovens para que se sintam realizados. Construir ambientes de troca, promovendo uma gestão participativa, valorizar as diferenças e o bom relacionamento entre as gerações, que os vejam como algo positivo e não ameaçador. Outras importantes iniciativas são o hábito do feedback constante, promoção do aprimoramento pessoal e profissional personalizados; só assim, a geração Z usará toda a energia da qual dispõe para oferecer o melhor de si com grandes resultados para o mundo corporativo.

Aos empresários fica a opção de encarar essas mudanças, investindo no desenvolvimento de suas lideranças para que estas possam melhor conduzir os novos desafios.

Por Eloisa Bispo